sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

oito ou oitenta

 Tu estás bem , como estás mal, és querido como és a pessoa mais cruel e que mais me magoa, como uma agulha espetada no coração. Ou dizes tudo o que sentes e és sincero, ou então dizes só o que te convém e te parece bem. ás vezes parece tudo tão bonito, e que o amor é o único sentimento que prevalece e o único muro entre nós, outras vezes, amor não é nada mais, se não o que nos falta. Tu não imaginas, nem um bocadinho, o que eu sinto por ti. Tu és, oito ou oitenta. E , por estranho que pareça, ou não, eu não te conheço mesmo nada. Sim, sei o teu nome, mas não é por isso que te conheço. Sempre pensei que conseguia perceber como as pessoas eram, sem as conhecer, mas enganei-me. contigo é bem diferente, és uma incógnita. sabes ? nunca sei quando dizes a verdade. Umas vezes dizes umas coisas, outras vezes dizes outras , e que juntas não fazem sentido nenhum e que me baralham os meus pensamentos. Só queria que abrisses o teu coração. Pega nas sete chaves que o fecham e abre-o. era tão mais fácil! tu tens o meu . tu sabes o que há lá dentro e em quem ele pensa. tu és tão imprevisível. Imprevisível, a palavra mais certa para te descrever. mas, pensando bem, eu gosto do imprevisível. se fosse sempre tudo fácil não tinha graça. não perceberia o quanto é bom amar , depois de sofrer. não perceberia o que é ter saudades, e depois matá-las. e quando, eu me perco nos teus olhos, e os meus lábios, pendem-se nos teus, é a coisa mais mágica do mundo. só isso compensa tudo. sinto uma coisa tão forte e tão grande, que quase me devora. mas não é fácil. não quero cair no chão, como já aconteceu. ás vezes não sei o que fazer, o que pensar , nem por onde seguir. fico perdida por ti. Tomo em conta a razão ou o coração ? Luto por aquilo que me faz a pessoa mais feliz do mundo, ou aquilo, que á partida, é melhor para mim ? a verdade é que isto tudo também faz parte. sabem ? é com estas coisas que se cresce mais na vida. e , quando , depois um dia olhar para trás, como um vidro embaciado, vou realmente perceber o que é o mal e o bem. agora , é impossível. só o tempo dirá, ou o tempo, ou tu, também. eu entreguei-te o meu coração, agora não o deites ao chão e o partas, como fizeste antes. é tudo o que eu peço. e se não o quiseres, devolve-me-o. com jeitinho e cuidado. é tudo. com amor, do tamanho do universo, das distancias das estrelas e todos os fios de cabelo. e nem isso chega. Não existe matemática que calcule o quanto te amo e só espero não sair mal disto. e só isso.

23 comentários:

  1. às vezes sem percebermos podemos ser nós a causa dessas mudanças de humor, pelo menos já me aconteceu isso uma vez e temos de ter em conta que os dias podem não ser os melhores, temos de nos por do outro lado e fazê-los notar que estão a agir mal. adorei a música do blog, trouxe-me imensas memórias, há muito tempo que não a ouvia.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. "amor não é nada mais, se não o que nos falta." muito bonito!

    ResponderEliminar
  3. "e se não o quiseres, devolve-me-o. com jeitinho e cuidado. é tudo."- se os outros respeitassem esse pedido, as coisas seriam muito menos complicadas.
    Luta por aquilo que, à partida, é melhor para ti, porque se fores atrás de uma coisa que não é boa para ti, nunca conseguirás ser feliz.
    Adorei o texto :)

    ResponderEliminar
  4. Tens toda a razão.
    "O que não me mata, torna-me mais forte" :)

    ResponderEliminar
  5. Olá !
    Gostei do seu blog. Pode seguir o meu blog ?
    http://xxx-memories-xxx.blogspot.com/
    Ficarei feliz em ver você lá no meu cantinho !


    Bjoos <3

    ResponderEliminar
  6. cada vez que leio este texto, ao som desta música lembra-me uma certa pessoa e... cada vez que leio este texto, ao som desta música arrepio-me porque é uma verdade para mim também e é esquisito saber que outra pessoa a quilometros de nós pode sentir e passar pela mesma coisa

    ResponderEliminar
  7. adorei o texto e o blog, está mesmo lindo ! Adorei ! E vou seguir *

    ResponderEliminar
  8. ainda bem querida.

    gostei mesmo do texto, está mesmo bem explicado!

    ResponderEliminar
  9. Eles são como são, odiamos a forma de eles serem mas se calhar tbm e isso que nos faz lutar por eles e continuar a viver.se calhar e a unica coisa que nos faz ficar cada vez mais forte. se calhar gostamos tanto deles que nao podemos acabar com este oito ou oitenta.

    ResponderEliminar
  10. de nada :) este texto está lindop, gosto mesmo :)

    ResponderEliminar